O trailer/teaser mais “instigante” da história do cinema.

ELENA_cartaz_1920x2880_PNG

Todo mundo que assiste um trailer novo, fica instigado, tentado, curioso e tudo mais.
Agora imagine um trailer que cause apenas isso, apenas o mais puro desejo de assistir ao filme em questão.

Apresento a vocês o mais instigante trailer/teaser da história do cinema.
(Na humilde opinião do autor que vos fala!)

Quer ficar ainda mais INSTIGADO?
Veja os prêmios que este documentário ganhou até agora:

• 45º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – melhor direção, melhor montagem, melhor direção de arte e melhor filme pelo júri popular, todos na categoria documentários.
• 28º Festival Internacional de Cinema de Guadalajara – menção especial
• 9º Festival Internacional de Documentários ZagrebDox – menção especial
• Films de Femmes 2013 – melhor documentário

Quer mais?
Olha só a opinião de quem já assistiu:

“ELENA é uma das experiências mais agudas e dilacerantes que já vivi no cinema.
De uma beleza incomum, o filme fica entranhado em nós por um longo tempo. Imperdível!”

Walter Salles
Diretor de “Central do Brasil”

“ELENA é uma experiência cinematográfica rara. Isto é devido à profundidade com que aborda as relações emocionais entre as três personagens e pela delicadeza poética de suas texturas, sons e texto. É como um fio que se desenrola na nossa frente e de repente estamos presos num nó sem saída. Mas o tempo ou a própria vida se encarrega de transformar o que era tragédia em memória, desfazendo o nó e deixando a vida voltar a fluir. Um filme que provoca 60 insights por minuto.”

Fernando Meirelles
Diretor de “Cidade de Deus”

“No centro, o evento trágico de uma vida interrompida cedo demais. Os vivos se despedaçam. O filme reintegra os pedaços, na medida em que isso é possível, ou seja, imperfeitamente. Não existe a ingenuidade de achar que a arte recupera a plenitude anterior ao drama. É o contrário, creio. Através do filme, o que se tenta é encontrar um modo de conciliar-se com a irrevogabilidade da morte, aprendendo a viver com o que fará falta para sempre. Se não existe desfecho limpo, de laço de fita, tampouco há prostração, pois é preciso seguir vivendo – e se possível, vez por outra, dançar um pouco, como na cena final. Esse gaio realismo, esse desejo de encontrar a alegria apesar de tudo, é o que fica e o que faz com que um filme sobre a morte consiga afirmar a vida de maneira tão forte. A impressão final é que Petra, diretora e irmã, fez e foi feita pelo filme, um pouco como aquela imagem em que uma mão desenha outra mão e é por ela desenhada. Sem a diretora, Elena não existiria; sem Elena, minha impressão é que a diretora seria mais triste, a vida presa a um luto sem resolução. Do ponto de vista do espírito, ela também seria mais pobre, pois não teria a experiência de haver realizado um dos mais bonitos filmes a que assisti em muito tempo.”

João Moreira Salles
Diretor de ”Santiago”

“Um dos mais belos (e dolorosos) documentários brasileiros dos últimos anos.”

Folha de S.Paulo

“ELENA fala das perdas vivenciadas na carne com um talento e uma coragem pouco comuns.
Ecoa fortemente dentro da gente, dor para curar a dor.”

O Globo

“Um filme que eu gostaria de ter feito. Me deixou arrepiado várias vezes, porque é um filme sobre a dor e a incompreensão da morte. E a morte não deveria existir.”

Ignácio de Loyola Brandão

“Primeiro, há três mulheres misturadas. Depois, existe a busca e a separação.
Elena agora é memória. E a memória é uma casa viva. É um dos mais belos documentários que eu já vi.”

Eliane Brum
Jornalista e documentarista

“Surpreendente e lírico. ELENA mantém a intimidade ao máximo.”

Filmmaker Magazine

Sabe qual a melhor parte? Ele estréia em todo o Brasil dia 10 de maio! ;)

Quer saber mais? Acesse: http://www.elenafilme.com/

@Mikebigode 

Coca-Cola e o “Engarrafamento da Felicidade”

coca_cola_rush_

A Coca-Cola  resolveu aproveitar essa oportunidade e levar felicidade aos motorista de Bogotá, na Colômbia.

A ação, criada pela Ogilvy & Mather, usou um enorme telão que passava filmes (de 1 minuto de duração apenas), onde os motoristas tinham de sintonizar uma rádio especial para escutar o áudio. E fora isso, promotores distribuiam pipocas, cachorros-quentes, salgadinhos e claro Coca-Colas para acalmar os mais estressados.

Olha só: