Os 10 melhores comerciais da Coca-Cola, segundo o AdAge

O AdAge listou 10 comerciais da Coca-Cola que, na opinião do site, foram os melhores dos 125 anos de existência da marca. Confira:

1931 – “Papai Noel”
Ilustrador: Haddon Sundblom
A Coca-Cola encomendou a Haddon Sundblom uma pintura do Papai Noel. A imagem em vermelho, vistosa e alegre, popularizou o ícone das férias.

1963 – “Praia”
Campanha: “As coisas vão melhor com Coca-Cola”
Agência: McCann Erickson
A campanha foi um marco em termos de utilização de música e astros pops.
“A campanha entre os os adolescentes contra o outro finalista. O ´Espírito da Coca-Cola´, ganhou com folga “, disse Mike McDonald, um diretor conta com McCann no momento.

1971 – “Hilltop”
Campanha: “É a coisa real “
Agência: McCann Erickson
Em janeiro de 1971, o diretor de criação da McCann Bill Backer observou os passageiros sitiados em uma cafeteria do aeroporto, rindo sobre garrafas de Coca-Cola. “Comecei a ver as conhecidas palavras: ´Vamos comprar uma coca-cola´, quando na verdade, era uma maneira sutil de dizer: ´Vamos fazer companhia um ao outro por um tempo´”, escreveu o Sr. Backer, em seu livro “The Care and Feeding of Ideas “.

1986 – “Max Headroom”
Campanha: “Catch the Wave”
Agência: McCann Erickso
Max Headroom, um personagem computadorizado, com uma voz sintetizada, foi originalmente criado por Rocky Morton e Annabel Jankel. Coca-Cola buscou atrair o mercado jovem e promover a nova formulação da Coca-Cola, pós New Coke.

1993 – “Luzes do Norte”
Campanha: “Sempre Coca-Cola”
Agência: Agência Creative Artists
Escritor e diretor Ken Stewart teve a inspiração dos ursos polares da Coca-Cola. O conceito eventualmente evoluiu para a idéia de ursos polares que bebem Coca-Cola, simbolizado pela aurora boreal no local. Usando computadores avançados e programas de alta tecnologia gráfica, o anúncio levou cerca de 12 semanas para ser produzido.

2006 – “Videogame”
Campanha: “O Lado Coca-Cola da Vida”
Agência: Wieden & Kennedy
A ideia nasceu em 2005, num sótão. “Eu ainda me lembro de estar sozinho em um estranh sótão, este espaço do sótão fora do meu armário. Eu não tenho nenhuma idéia porque eu estava lá”, disse Sheena Brady, diretor de criação da Wieden. “Eu estava trabalhando fora da Coca- Cola, otimista sobre o mundo e pensarndo sobre o que não é feliz neste mundo, sobre  o obscuro. [E eu pensei que] o que aconteceria se você colocar Coca-Cola dentro dessa configuração do videogame über violento?”

2007 – “Fábrica da Felicidade”
Campanha: “O Lado Coca-Cola da Vida”
Agência: Wieden & Kennedy
Descartando as moedas em uma máquina de venda automática se inicia uma viagem fantástica de como uma garrafa de Coca-Cola é representativa para o consumidor.

2008 – “It´s Mine”

Campanha: “O Lado Coca-Cola da Vida”
Agência: Wieden & Kennedy

2010 – “Máquina de Felicidade
Campanha: “Felicidade Aberta “
Agência: 6 Definição
A proposta era criar algo inesperado, emocional e assistível. Ela teve que ser executada de uma maneira mais barata e viral, sem mídia paga. “Vou ser sincero: quando se propõe a fazer uma campanha como essa nunca se sabe o resultado”, disse John Harne, diretor executivo de criação da Definição 6. Girassóis animais, balão, Coca-Cola grátis, pizza quente e um sanduíche gigante, todos surgiram a partir da “máquina da felicidade”, filmados em St. John´s University, Nova York.

Para ver todos os vídeos acesse o AdAge

Ogilvy Brasil cria para Coca-Cola nos EUA

A Ogilvy do Brasil é a responsável por duas ações para as marcas Coca-Cola e Fanta. Ambas as criações foram concebidas pelo escritório brasileiro e executadas nos Estados Unidos.

Intitulada “Lift&Laught” a ação de Fanta, solicitada pelo escritório de Nova York da rede, buscava reforçar o posicionamento da marca, ao dizer que com Fanta o “único caminho é para cima”.

A agência então escolheu um elevador em uma escola na cidade de Atlanta para despertar risos e a curiosidade dos estudantes. Dentro do “meio de transporte” foi instalado um dispositivo que reagia aos movimentos e comentários dos alunos.

Algumas vezes repetia tudo que uma pessoa dizia para a outra. No caso do estudante estar sozinho no elevador, por exemplo, ao encostar numa parte da parede, um som simulava um choque.

Ao final da viagem, uma espécie de tapume se abria mostrando um refrigerador e diversas latas de Fanta. Bolinhas laranjas (cor da marca) eram jogadas, simulando uma festa.

As reações foram gravadas pela produtora Definiton 6. Muitas pessoas não queriam descer do elevador ou pediam para repetir a viagem. De acordo com Anselmo Ramos, diretor de criação da Ogilvy, a ação não faz parte de uma campanha específica e visa principalmente a consolidação da imagem que a marca, que é transmitir alegria.

 

O vídeo da ação nos elevadores

No caso de Coca-Cola, um viés mais emocionante foi adotado. A execução da ação foi aconteceu no Natal de 2010 com o nome de “Forgotten Letters”.

Tudo se passa na cidade de Santa Claus, no estado de Indiana, EUA. No local existe um museu que reúne diversos objetos relacionados à figura do Papai Noel e que há mais de setenta anos recebe cartas do mundo todo.

O anunciante e a agência escolheram 40 delas e foram procurar as pessoas que escreveram para entregar o presente. De uma boneca, a um cavalo, os  desejos eram diversos.

O resultado foi um comovente filme que traduz o conceito da Coca-Cola sobre acreditar, além de reforçar a magia do Natal. A produtora Hungry Man acompanhou a Ogilvy nessa jornada.

 

“As cartas esquecidas de Papai Noel”

O fato de as ações terem sido criadas para outros escritórios é algo comum dentro da rede Ogilvy. “Por sermos uma agência com trabalhos relevantes, somos convidados para a realização de vários pitchings globais. É uma prática recorrente no grupo”, relata Ramos.

Para o criativo, mesmo sendo filmes que não estão relacionados a uma campanha específica, o importante é a mensagem que eles passam e que amparam a marca na fixação de sua imagem. “Queremos sempre produzir conteúdo relevante, não importa a plataforma”, conta.

Ramos destaca que só o fato de as pessoas assistirem o filme, mesmo que no YouTube, gera discussões em torno do assunto e com as redes sociais, os usuários interagem e passam para frente a mensagem proposta pela marca.

Essa é a mesma receita que foi utilizada na criação dos cases “Conta de 73 mil” (que ganhou Ouro em Cannes) e “Drunk Vallet”, recém-lançado. Na ação, um motorista de estacionamento fingia estar bêbado e mesmo assim abordava os clientes para estacionar os veículos. O resultado foi um vídeo que mostra que nenhuma pessoa deixou um motorista alcoolizado dirigir o carro.

Fonte: Meio e Mensagem

Coca-Cola faz promoção para micareta universitária

A Coca-Cola dará ingressos para o Carnadministrando 2011. Os consumidores que adquirirem quatro caixas do energético Burn ou oito caixas de Bavaria Clássica ganharão uma entrada para a micareta universitária. A marca também é patrocinadora do evento, que está na quinta edição e será realizado nos dias 22 e 23 desta semana, em Juiz de Fora, Minas Gerais. A promoção é válida para compras realizadas nos estabelecimentos Bahamas São Vicente e Empório Bahamas Rio Branco, enquanto durarem os estoques.

Fonte: Mundo do Marketing

Coca-Cola encerra contrato com Wayne Rooney

A fabricante de bebidas Coca-Cola anunciou nesta quarta-feira (05) que irá encerrar a parceria com o atleta Wayne Rooney, do Manchester United.

A empresa argumentou que não irá renovar o contrato com o atacante por conta de “más atitudes do jogador em sua vida privada” , informa UOL Esportes.

Rooney figurava nas campanhas de Coca-Cola Zero na Inglaterra desde 2007, quando o acordo começou a valer.

Desde então, a imagem do atacante apareceu nas latas de refrigerante, garrafas e em comerciais de TV, até setembro do ano passado, quando Rooney confirmou que traiu sua esposa (grávida na época) com uma prostituta.

A empresa tirou Rooney de suas campanhas, mas manteve a parceria até o fim de 2010, quando se encerrou o contrato.

Nesta quarta-feira, a Coca-Cola divulgou o fim da parceria. “Nosso contrato com Wayne Rooney chegou ao fim no ano passado e as duas partes concordaram que nós não iríamos renovar nosso acordo”, afirmou a empresa em nota oficial.

A empresa também alegou que seus planos de marketing irão focar os Jogos Olímpicos de Londres-2012 e os Jogos Para-olímpicos.

No início da semana, o atacante do Manchester United recebeu dois jogos de punição no Campeonato Inglês por falar uma série de palavrões em direção às câmeras após o seu terceiro gol na vitória por 4 a 2 sobre o West Ham. O jogador ainda vai apelar da decisão.

Fonte: CCSP

Uma decisão inteligente por parte da Coca-Cola, já que Rooney não é um exemplo de controle e boa personalidade!